21 de dezembro de 2014

All about that basic

Como uma estudante de faculdade, todo dia me encontro no sufoco de encontrar o que vestir. Não por me preocupar com o que os outros irão pensar, mas sim, porque gosto sempre de me vestir razoavelmente bem e ficar confortável, mas as seis da manhã é um sacrifício procurar pelo guarda-roupa aquilo que me agrade. Por isso tenho uma gaveta só com peças básicas que são certeiras em me fazer sentir bem (tanto pelo conforto como pelo visual em si).

Assim, fiz uma lista de peças de roupas que podem também de ajudar a se vestir o ano todo sem problema algum e que, variando com acessórios, você pode facilmente repetir roupas durante os 365 dias do ano.

Já que é fim de ano e todos querem organizar e renovar o guarda-roupa, seria interessante você procurar por produtos de qualidade que sejam básicos, pois no resto do ano dá para procurar por peças e acessórios mais ousados que expressam o seu estilo num look monótono.


1. Camisetas básicas: Soltas no corpo ou justas, estampadas ou lisas. As camisetas são peças indispensáveis que, se você escolher cores e estampas neutras, pode combinar com qualquer outra peça do seu guarda-roupa para o dia-a-dia.


2. Crop Top: A mesma coisa do que as camisetas, esse estilo de top pode ajudar no conforto e também diferenciar suas roupas com facilidade. Misturando com qualquer peça de cós alto, o cropped pode dar uma impressão de que você gastou mais tempo para se arrumar do que realmente gastou, além de ser interessante de brincar com ao montar um look


3. Saia godê: O nome dessa saia tem god no meio por um motivo: ela te salva em qualquer ocasião. Tem uma festa social para ir? Casamento? Faculdade? Rolê? Essas saias fazem qualquer mulher se sentir bem usando por valorizar o corpo assim como podem ser a peça-chave para o seu look ficar completo. Pessoalmente, minha saia godê preta é o meu item favorito de se usar na faculdade e eu repito mais do que eu devia.


4. Skinny jeans: Eu sei que no calor do Brasil os shorts jeans deveriam estar na lista ao invés do típico jeans justo, mas focando no dia-a-dia, as calças são mais práticas e confortáveis e com o corte certo, podem ser melhor do que shorts além de também valorizar cada tipo de corpo. Gosto das skinnies para usar com ankle boots ou docs e também para misturar com blusas mais soltinhas.


5. Kimono: Qualquer um que me conhece até me daria um tapa se essa peça não estivesse aqui. Brincadeiras a parte, os kimonos são a minha segunda peça favorita, perdendo apenas para a saia godê. Como estudo de manhã, quando saio de casa está frio enquanto na hora do almoço, suo e ma consigo respirar de tanto calor e é por isso que gosto tanto dos kimonos. Eles são leves, mas podem cobrir seu corpo um pouco mais em qualquer ocasião que você precisar.
Me perdoem pelo terrível trocadilho do título, mas foi mais forte do que eu.




20 de dezembro de 2014

Apps: Fotografia



Quem me conhece sabe que sou viciada em baixar aplicativos, entro quase todo dia na apple store e na google play sempre de olho no que tem de novo. Meu grande vício são os aplicativos de edição de fotos, passo horas brincando com os efeitos disponíveis.  E por esse motivo não podia deixar de vir aqui compartilhar alguns dos meus aplicativos favoritos.

1. Polamatic

É apaixonada por polaroid? Não tem dinheiro pra comprar uma câmera? Então você não pode deixar de baixar este aplicativo. Esse aplicativo trás toda a magia da câmera de uma forma muito simples, e ao escolher a foto que você irá utilizar ele faz aquele som clássico e a foto desce como se você tivesse usando a própria polaroid. O aplicativo tem uma interface simples, e disponibiliza várias molduras, efeitos e além de tudo te da a opção de escrever nas fotos, como era feito antigamente. Polamatic é um aplicativo pago e está disponível na App Store e na Google Play.

2. Stackables

Baixei de curiosa e em segundos ele ganhou um espaço no meu coração, se tornando o meu aplicativo favorito do momento. Logo de cara o que mais chama atenção no aplicativo são as texturas disponíveis, são todas incrivelmente lindas. Porém o grande diferencial do aplicativo é que você pode ir criando camadas e adicionando efeitos, cores, texturas, como você bem entender, e assim deixando sua foto com um efeito único. E não para por ai, depois de se divertir editando sua foto E ADIVINHEM SÓ? Tem como salvar o efeito que você criou para colocar em outras fotos, não é de mais? O aplicativo é pago (mas vale cada centavo!) e infelizmente está disponível apenas na App Store.

3. Double


O mais legal das câmeras analógicas é que você podia expor um único frame do filme várias vezes e criar uma sobreposição, deixando as fotos com um efeito incrível. E graças ao dubble você pode criar o mesmo efeito direto do seu celular. O mais legal do aplicativo é que você pode criar duplas exposições com suas próprias fotos ou clicar em “the word” e então a sua foto será misturada com um foto aleatória, de qualquer pessoa do mundo, as vezes sai imagens lindas, mas muitas vezes fica meio zoadinho, e é bem ai que esta a graça da coisa, você nunca sabe como vai ficar o resultado final. O aplicativo é gratuito e está disponível apenas na App Store.



19 de dezembro de 2014

Like a VG


Faz um pouco mais de três meses que não postamos no blog. Nesse meio tempo tivemos responsabilidades e estávamos ainda nos acostumando com o primeiro ano da faculdade (que aliás, agora estamos livres por dois meses, amém). Não foi difícil, já que adoramos o que fazemos, mas utilizamos esse tempo para focar nos estudos, assim como decidir exatamente o futuro do blog e da loja, já que queremos que nosso pequeno empreendimento funcione.

Nesse meio tempo choramos fazendo croquis, procurando tecidos (cujos conseguimos achar uns de viscose e chiffon com estampas lindas e preços acessíveis que nos animou ainda mais para confeccionarmos para a loja), saímos um pouco pra fugir da rotina (mais a Carol) e choramos também (mais eu hah). Enfim, esses últimos meses foram corridos, mas vimos que dá para conciliarmos com tudo e ainda colocarmos esse mix de blog/loja na nossa lista de afazeres.

Espero que gostem da volta do VG e estejam tão animados para a nossa loja como nós estamos.


23 de agosto de 2014

Fashion Scrapbook: Minna Parikka



Das sapatilhas aos coturnos e pumps, a designer finlandesa Minna Parikka consegue criar peças que você nunca imaginou em sua mente, mas facilmente pode se apaixonar com uma coleção surrealista, normalmente inspirada em coelhos, dando um ar romântico excêntrico em cada par de sapato da grife. Em sua página, é dito que "suas criações são para mulheres que rejeitam o mundano e encontra razões para celebrar e brilhar todo dia. Pelas estações, a marca mantém sua essência excêntrica, seus detalhes surreais e divertidos, e seu acabamento impecável". E é claro que essas palavras são bem visíveis logo na loja da marca, com os modelos únicos e diferentes de Minna Parikka.

A paixão de Minna por calçados é baseado no fato de que sapatos —ao contrário das roupas— não precisa de um corpo vestindo-o para ser atrativo. Mas mesmo o par sendo bonito por si só, é quando uma mulher o calça que a mágica realmente acontece. Os sapatos perfeitos podem mudar sua aparência, seu humor e como ela é vista por outros.
"Meus designs são quase como cartas-de-amor de uma apaixonada por saltos para outra. Permita você mesma a ser ousada e deixe um par lhe guiar para novas aventuras. A vida é muito curta para ser levada a sério" 
A grife começou quando aos quinze anos, Minna decidiu que criar sapatos seria a carreira que ela queria seguir por toda a sua vida. Assim, após se mudar para Inglaterra aos plenos 19 anos para se formar em design de calçados, a criadora passou os próximos seis anos vivendo, trabalhando e procurando inspiração em Londres, Milão e Barcelona, voltando apenas em 2005 para concretizar sua marca Minna Parikka em sua terra natal, Helsinki.

A página oficial da marca pode ser encontrada aqui enquanto a sua loja online está aqui. Comprando os pares de Minna ou não, não custa nada ficar admirando suas criações ou até mesmo se inspirar nelas na hora de se vestir, não é?